Bem-vindo à Diocese de Goiás

O que você procura?

(62) 3371-1206
Fax: (62) 3371-2380

VII Dia Mundial dos Pobres

“Nunca afastes de algum pobre o teu olhar” (Tb 4, 7)


Publicado em 01 Novembro de 2023
Compartilhe:      

 

Goiás, NOVEMBRO de 2023.

 

Prezados amigos,

Prezadas amigas,

 

Venho cumprimentá-los e manifestar minha gratidão a Deus pelo Mês Missionário vivido em comunhão, no qual nós e as comunidades buscamos refletir sobre a nossa missão de batizados (as) e sobre a natureza missionária da Igreja. Caminhando juntos, concretizamos a sinodalidade e nossa vocação missionária. Agradeço a cada um(a) por colaborar generosamente para manter viva nossa Opção Fundamental, traduzindo o Evangelho para nossa realidade.

No dia 02 de novembro, celebramos a memória de todos os fiéis falecidos, com os quais mantemos nossa comunhão, conforme nossa fé. É um dia de saudades das pessoas queridas que já fizeram sua passagem para a eternidade. Como afirma Rubem Alves, “a morte é onde mora a saudade”. Mas é também dia de esperança, pois sabemos que a morte não é a última palavra de Deus para os seus queridos filhos e filhas. Ele tem uma palavra de vida eterna. Jesus, vencedor da morte, também nos assegura a vitória sobre a morte (cf. Jo 11,25-26). Na homilia da missa de 02 de novembro de 2022, o papa Francisco alimentou essa esperança ao mencionar que “estamos na sala de espera do mundo para entrar no paraíso” e que nossas maiores expectativas serão cumpridas: o Senhor enxugará as lágrimas de cada rosto e eliminará a morte para sempre (cf. Is 25,8). Ele concluiu aquela homilia indicando como devemos viver essa esperança: “no dia da nossa despedida, a surpresa será feliz se agora nos deixarmos surpreender pela presença de Deus, que nos espera entre os pobres e feridos do mundo.” Por ocasião dessa memória, recordemos todas as pessoas que perderam suas vidas vitimadas pelas guerras, incluindo crianças, mulheres e idosos. Além dessas mortes, a guerra geopolítica causa um imenso sofrimento, em especial nas crianças órfãs, sozinhas, abandonadas.  O horror da guerra fere gravemente o rosto divino presente em cada ser humano. Rezemos ao Deus da Paz, para que tenha misericórdia do Seu povo e que abrande os corações daqueles que têm responsabilidades nos conflitos. Mesmo que a paz mundial possa parecer uma utopia, sejamos profetas da esperança, intensifiquemos nossas orações pela paz, para que a humanidade se manifeste a favor da vida.

Na mensagem para o VII Dia Mundial dos Pobres, que será celebrado no dia 19 de novembro de 2023, o papa Francisco, inspirado no Livro de Tobias, pede-nos: “Nunca afastes de algum pobre o teu olhar” (Tb 4,7). Repete o pedido de Tobit ao seu filho Tobias, ao despedir-se deste, que partiria para uma longa viagem. Tobit era duplamente pobre: cativo em Nínive e cego. Além disso, o pai idoso instrui seu filho a evitar o pecado, observar os mandamentos do Senhor e praticar a justiça (cf. Tb 4,5). Ele mesmo viveu praticando o bem fornecendo pão aos famintos, vestindo os nus e sepultando os mortos (cf. Tb 1,3.7). O papa observa que, atualmente, há um grande apelo ao bem-estar, por um lado, mas por outro, uma indiferença àqueles que vivem na pobreza. Ele também menciona as novas formas de pobreza, como as populações que vivem em cenários de guerra, as famílias empobrecidas vítimas de especulações financeiras, os trabalhadores que sofrem tratamento desumano, baixa remuneração, condições precárias de trabalho e acidentes em vista disso. O papa ainda menciona os jovens frustrados que, em alguns casos, cometem suicídios, iludidos por uma cultura que os faz sentirem-se incompletos. Diante disso, o Dia Mundial dos Pobres é uma ocasião para evitar o mero discurso retórico e deixar-se inspirar pelo Livro de Tobias, que nos instiga à ação com e pelos pobres, a restabelecer relações interpessoais justas. Partindo do testemunho de Tobit (cf. Tb 2.1-2), o papa ressalta o quão significativo seria partilhar uma refeição com um pobre nesse dia, pois os pobres têm urgente necessidade de nossa humanidade.  Que possamos contar com o auxílio do Espírito Santo para sermos coerentes e praticar o pedido de Tobit a “nunca afastar de algum pobre o olhar”. Celebremos esse dia com criatividade pastoral e generosidade, em sintonia com nossa opção fundamental. 

No próximo dia 18 de novembro, realizaremos a última Coordenação Diocesana de Pastoral, na qual avaliaremos nossa caminhada durante este ano, planejaremos o ano de 2024 e celebraremos o encontro e a partilha das realizações de nossas comunidades. Os representantes das paróquias, das CEBs, das pastorais e movimentos são sempre bem-vindos e que toda a diocese esteja em comunhão nesse dia para fortalecer a unidade diocesana e a sinodalidade. Rezemos por essa importante atividade diocesana.

Aproximando-nos do fim do ano litúrgico, venho agradecer a cada um(a) pela comunhão vivida no nível de Igreja local e universal, buscando a prática  de uma caminhada sinodal, rezando pelas vocações com os corações ardentes e pés a caminho. Neste ano em que a Campanha da Fraternidade nos provocou a trabalhar mais uma vez contra a fome, apresentamos ao Senhor nossa disposição em discernir Sua vontade, humildemente reconhecendo nossas limitações e incapacidades, mas confiantes e com esperança de que estamos no caminho certo. Possamos continuar juntos e animados para esse novo ano litúrgico que se aproxima. 

Recebam meu abraço fraterno!

+Dom Jeová Elias

Diocese de Goiás

 


Fonte: Diocese de Goiás