Bem-vindo à Diocese de Goiás

O que você procura?

(62) 3371-1206
Fax: (62) 3371-2380

''Ele ressuscitou!'' (Mc 16, 6)


Publicado em 01 Março de 2024
Compartilhe:      

Goiás, MARÇO de 2024.

 

Prezados amigos,

Prezadas amigas,

Desejo que estejam em paz e animados pelo Espírito nesse tempo propício de preparação para a Páscoa do Senhor!  Agradeço ao Pai por trilharmos em comunhão como família diocesana esse belo tempo de Quaresma, preparando o nosso coração para celebrar a Páscoa do Senhor, ainda neste mês. Vivenciemos intensamente esse tempo da graça de Deus acolhendo sua misericórdia, que perdoa nossas faltas, e dispondo-nos a oferecer aos irmãos e irmãs o perdão generoso. Nesse tempo forte, conforme o convite de Jesus desde a quarta-feira de cinzas (cf Mt 6,5-6), dediquemos mais tempo e qualidade à nossa oração pessoal e comunitária. Conforme o cardeal José Tolentino, “a oração é feita de atenção. É a orientação para Deus de toda a atenção de que alma é capaz. Da qualidade da atenção depende e muito a qualidade da oração”[1]. Esse é um tempo para “ver melhor, sentir melhor, escutar melhor o que Deus revela em nós”2

No convite à conversão que ressoa forte nesta caminhada quaresmal, a Igreja no Brasil, com a Campanha da Fraternidade, convida-nos a viver a Fraternidade e Amizade Social como compromisso batismal que nos iguala na dignidade de filhos de Deus, como irmãos e irmãs, embora tão diversos. As diferenças não devem tornar-nos inimigos. Para refletir e celebrar bem a temática proposta, muitos subsídios são oferecidos. Nesse sentido, a Campanha da Fraternidade nos oferece diversas sugestões válidas para transformar nossa realidade pessoal, comunitária, social e ecológica. Entre elas, cultivar uma espiritualidade de comunhão, uma mística do encontro, da ternura, da misericórdia, porque Jesus, nosso Mestre, é acolhimento e compreensão (cf. Texto-Base, n. 128).  Sem a espiritualidade, os gestos se tornam exteriores e sem sentido. Àqueles que romperam vínculos de amizade, o convite a pedir e oferecer o perdão, a buscar a reconciliação com Deus e com o irmão.

 Após o itinerário preparativo, celebraremos o mistério central da nossa fé: a vida entregue e martirizada de Jesus, mas ressuscitada, com início na quinta-feira santa, culminando na celebração do domingo de Páscoa, quando voltaremos a cantar com alegria o Aleluia que renova a nossa esperança, pois a morte foi derrotada: “Ele ressuscitou. Não está aqui”, alegra-nos o anúncio do jovem, vestido de branco, sentado ao lado direito (cf. Mc 16, 6). Alegremo-nos, nós, os anjos e os santos, pois Ele vive e está no meio de nós! Vivamos a beleza desse tempo litúrgico! O nosso coração, conforme o cardeal Tolentino, “é chamado a ser ferido pela beleza pascal de Cristo e do Amor infindo que Ele revela. A nossa vocação é essa ferida de amor, esse alagar-se, esse ensopar-se até os ossos no amor de Deus, esse viver uma real pertença que acenda na vida toda o desejo de Deus, esse experimentar um sobressalto de Deus que se prolonga nos anos”[2].

Desejo que a celebração da Páscoa do Senhor renove a nossa esperança e nos encoraje a lutar contra todas as estruturas geradoras de morte, fruto do pecado arraigado em tantos corações. Que a vitória da Jesus na cruz destrua toda hostilidade e reconcilie-nos com Deus e com os irmãos e irmãs (cf. Ef 2,14-20). O papa Francisco nutre essa esperança em si e em nós quando reflete sobre a ressurreição: “Com Ele, o mal já não tem poder, o fracasso não pode impedir-nos de recomeçar, a morte torna-se passagem para o início duma nova vida. Porque com Jesus, o Ressuscitado, nenhuma noite é infinita; e mesmo na escuridão mais densa, nesta escuridão brilha a estrela da manhã”[3]

Que Maria, nossa Mãe, nos ajude a sermos testemunhas da ressurreição de seu amado Filho, por meio da fraternidade e amizade a todas as pessoas, em especial entre nós, família diocesana!

Recebam meu abraço fraterno!

 

[1] José Tolentino, O Tesouro Escondido, p. 8. Paulinas. 2 Ibidem, p. 8. 

[2] Ibidem, p. 67.

[3] Disponível em: <https://www.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2022/documents/20220416-omelia-vegliapasquale.html>. Acesso em 27 fev de 2024.


Fonte: Diocese de Goiás